quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Primeiro Caminhão Elétrico é Produzido pela Volkswagen Brasil



A Volkswagen Caminhões e Ônibus lançou seu primeiro caminhão elétrico, leve e com zero emissão de poluentes, completamente desenvolvido no Brasil.

Lançado inicialmente na Alemanha, o veículo foi apresentado aqui no Brasil na última FENATRAN, que aconteceu em São Paulo no fim do ano passado. 

O caminhão entrou em período de testes no começo deste ano e vem realizando entregas da AMBEV. 

A empresa tem como meta começar produção em larga escala até 2020.



O modelo, chamado de e-Delivery, foi desenvolvido em parceria com as empresas WEG e a Eletra para tração de veículos comerciais.

O E-Delivey é equipado com um motor elétrico de 80kW (109cv) de potência, com torque máximo de 50,2kgfm. 

A transmissão é automática de seis marchas. Tudo isso é alimentado por um banco de baterias que proporciona uma autonomia de até 200 quilômetros, variando de acordo com a aplicação e a configuração do veículo.

A recarga, outro desafio para a competitividade dos veículos elétricos, terá duas opções no caminhão da Volks. 

A fabricante afirma ser possível carregar 30% da bateria em 15 minutos. 

Essa é a alternativa para aumentar a autonomia do veículo. Já a recarga completa leva três horas.

O E-Delivery estará disponível nas opções de 9 e 11 toneladas e será exportado para o mundo inteiro, principalmente para a Europa. 

No conceito plug-in, as baterias do veículo são recarregadas por um carregador externo padrão CCS, o mesmo utilizado em outros veículos elétricos.

Quando o freio é acionado, o motor elétrico funciona como um gerador e a energia que seria desperdiçada na frenagem é reaproveitada e armazenada no banco de baterias. 

Os sistemas auxiliares, como compressor de ar, ar-condicionado, bomba de direção e de água ficam a cargo de motores elétricos independentes ao de tração, otimizando a capacidade de tração do motor principal. 

Eixos, suspensão, chassis, rodas e pneus seguem as características da linha Delivery, compartilhando componentes comuns com a plataforma e barateando os custos de manutenção.

Fontes de consulta: abve.org.br / valor.com.br/ epocanegocios.globo.com